Notícia

Brasil continuará a ser um dos maiores exportadores de alimentos do mundo em 2030

Brasil continuará a ser um dos maiores exportadores de alimentos do mundo em 2030

Brasil continuará a ser um dos maiores exportadores de alimentos do mundo em 2030

Estudo do Ministério da Agricultura com projeções para o agronegócio na próxima década aponta que o Brasil continuará a ser um dos maiores produtores e exportadores de alimentos do mundo, ao lado dos Estados Unidos.

O relatório aponta que haverá forte pressão do mercado internacional especialmente nas áreas de carnes bovina e suína, mas que o Brasil continuará a liderar as vendas externas de frango.

Nesse contexto, também haverá incremento da demanda no mercado interno, principalmente de grãos. "Em 2029/30, 50,4% da produção de soja deverá ser destinada ao mercado interno. No milho, serão 69,0%, e no café, 56,6%. Haverá uma dupla pressão sobre o aumento da produção nacional, devido ao crescimento do mercado interno e das exportações do país", diz o estudo.

Segundo as projeções, o Brasil deverá participar com quase 52% das exportações mundiais de soja em 2030. Outras participações importantes previstas são na carne de frango (35,3%), no milho (23,2%), no algodão ( 22,7%) e na carne suína (9,7%).

Também terão destaque no aumento das exportações na próxima o açúcar, cujos embarques deverão passar de 15,98 milhões de toneladas, em 2019/20, para 25,23 milhões em 2029/30 (alta de 57,9%), e o algodão, com aumento de 41,6%. A exportação de milho deverá aumentar de 34,5 milhões de toneladas para 44,5 milhões (alta de 29,1%).

Já a carne de frango deve ter um incremento de 34,3% nas exportações e a carne suína, de 36,8%. As frutas também têm destaque, com aumento nas exportações de manga (57,6%), melão (47,6%) e maçã (43,4%).

Fonte: MilkPoint