Notícia

Laticínio com capacidade diária de 8 mil litros de leite é inaugurado no interior do Tocantins

Laticínio com capacidade diária de 8 mil litros de leite é inaugurado no interior do Tocantins

Laticínio com capacidade diária de 8 mil litros de leite é inaugurado no interior do Tocantins

Tocantins passará a contar com mais uma empresa no segmento de laticínio com adesão ao Serviço de Inspeção Estadual (SIE). O novo estabelecimento está localizado no município de Juarina, a 378 quilômetros de Palmas. O processamento inaugural foi realizado na manhã desta segunda-feira (29), acompanhado pela Agência de Defesa Agropecuária (Adapec).

Segundo a Adapec, o Laticínio Juarina possui capacidade de processamento diário de 8 mil litros de leite e irá produzir queijo mussarela, creme de soro de leite para uso industrial e queijo mussarela trança. “A adesão de mais este estabelecimento ao SIE mostra a confiança dos empresários no trabalho que o Governo do Estado vem executando no setor agroindustrial,” disse o presidente da Adapec, Alberto Mendes da Rocha.

Com a adesão ao SIE a empresa poderá comercializar seus produtos para todo o território tocantinense. “Com a adesão desta indústria, passaremos a contar com 17 estabelecimentos no setor de laticínios registrados no SIE com fiscalizações feitas pela Adapec, garantindo assim, a qualidade dos produtos que chegarão a mesa dos consumidores,” disse o gerente de inspeção animal da Agência, Antônio José de Sousa Caminha.

Segundo o gerente do laticínio, Fernando Dias Soares, a empresa está gerando 8 empregos diretos e a indústria atenderá cerca de 80 produtores rurais, criadores de gado leiteiro. “Foram investidos mais de R$ 800 mil neste empreendimento e a empresa acredita que obterá retorno, porque a partir de agora podemos comercializar nossos produtos para todo o Estado e já iniciamos um processo para vendas futuras na região central e sul do Tocantins,” disse Fernando, acrescentando que o laticínio recebeu uma boa aceitação por parte dos produtores rurais da região.

O processamento experimental foi acompanhado pela inspetora de defesa agropecuária da Adapec, Kelly Timbó e pelo fiscal agropecuário, José Henrique Souza Quintanilha Neto.

Fonte: MilkPoint