Notícia

Líderes do setor de lácteos dos EUA temem que novas tarifas prejudiquem comércio com o México

Líderes do setor de lácteos dos EUA temem que novas tarifas prejudiquem comércio com o México

Líderes do setor de lácteos dos EUA temem que novas tarifas prejudiquem comércio com o México

 A Federação Nacional de Produtores de Leite  (NMPF) e o Conselho de Exportação de Lácteos dos EUA (USDEC) estão expressando seu descontentamento com a última rodada de tarifas comerciais imposta ao México pela administração Trump. Em 30 de maio, a Casa Branca anunciou planos para impor novas tarifas sobre as importações do México a partir de 10 de junho.

As tarifas mais recentes da administração Trump foram estabelecidas para tratar de questões de imigração ilegal ao longo da fronteira sul. Isso ocorre apenas algumas semanas após a indústria de laticínios celebrar o fim das tarifas retaliatórias relacionadas ao comércio de aço e alumínio que tiveram impacto nas exportações para o Canadá e o México.

Ambas as equipes de liderança da NMPF apontaram a posição do senador Chuck Grassley (R-Iowa) em relação à direção que o governo Trump deve tomar sobre comércio, segurança de fronteira e imigração. Eles também estão preocupados que isso possa colocar em risco a aprovação do Acordo Estados Unidos-México-Canadá (USMCA), um acordo comercial que poderia gerar US$ 277 milhões adicionais em vendas de lácteos.

"O senador Chuck Grassley está certo: as questões de segurança nas fronteiras são questões de segurança nas fronteiras, e as questões comerciais são questões comerciais", disse Jim Mulhern, presidente e CEO da NMPF.

“O México é um parceiro comercial confiável e a indústria de lácteos aguardava a retomada de uma sólida relação comercial com o México”, acrescenta Tom Vilsack, presidente e CEO do USDEC. "Como o senador Grassley indicou, esta ação pode ameaçar o avanço do esforço de ratificação do USMCA, que é uma prioridade para a indústria de laticínios e a administração Trump".

As tarifas têm sido uma preocupação para os produtores de leite. Estima-se que US$ 2,3 bilhões em receita tenham sido perdidos durante os primeiros três meses de 2019 devido às tarifas que reduziram os preços do leite, de acordo com a NMPF.

O México é um dos maiores parceiros comerciais da indústria de lácteos dos EUA. Durante o primeiro trimestre deste ano, o México foi responsável por mais de 25% das exportações de lácteos dos EUA. Os EUA representam 73% do mercado de importação para o México e enviaram US$ 1,4 bilhão em produtos lácteos durante os primeiros três meses de 2019.

“Para os produtores de leite, uma nova turbulência com o México também ameaça ganhos obtidos no início deste mês, quando o México baixou tarifas de retaliação contra o queijo norte-americano. Reescalar as tensões comerciais só prejudica mais os produtores, justamente quando eles estavam vendo esperança”, disse Mulhern.

Fonte: MIlk Point