Notícia

Estudo comprova evolução da ecoeficência do Sistema Campo Limpo

Estudo comprova evolução da ecoeficência do Sistema Campo Limpo

Estudo comprova evolução da ecoeficência do Sistema Campo Limpo

Em um cenário no qual é cada vez mais urgente pensar na importância do consumo consciente de recursos naturais e na gestão do ciclo de vida dos bens e produtos em prol da conservação do meio ambiente, o Sistema Campo Limpo (logística reversa de embalagens vazias de defensivos agrícolas) é um sólido exemplo de que legislação eficiente somada à dedicação e ao engajamento de todos os elos da cadeia produtiva podem gerar impactos ambientais, sociais e econômicos bastante positivos.

Dados da Fundação Espaço ECO sobre a ecoeficiência do Sistema Campo Limpo mostram que, desde 2002, ano do início das atividades do Sistema, até dezembro de 2018, a logística reversa das embalagens de defensivos agrícolas evitou a emissão de 688 mil toneladas de gás carbônico equivalente, o que equivale a mais de 4 milhões de árvores que precisariam ser plantadas para compensar essas emissões, se elas tivessem ocorrido. A destinação correta das embalagens também é responsável por evitar a extração de 1,6 milhão de barris de petróleo e pela economia de energia elétrica suficiente para abastecer 1,5 milhão de residências durante um ano.

“A logística reversa no campo nasceu seguindo o conceito de economia circular desde os projetos-piloto na década de 90, sempre considerando todo o ciclo de vida da embalagem. Desde sua criação, em 2002, o Sistema Campo Limpo destinou de forma ambientalmente correta mais de 500 mil toneladas de embalagens pós-consumo. Cerca de 94% das embalagens plásticas primárias colocadas no mercado são encaminhadas para destinações ambientalmente adequadas: 91% desse total para a reciclagem e o restante para a incineração”, Maria Helena Z. Calado, gerente de Sustentabilidade do inpEV (Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias). Esse sucesso reflete a adoção do conceito de responsabilidade compartilhada, que foi estabelecido pela Lei 9.974/00 e seu Decreto 4.074/02, com uma legislação que definiu o papel de cada elo da cadeia agrícola – indústria, agricultores, canais de distribuição e poder público, compartilhando responsabilidades entre todos.

Como unidade gestora do Sistema Campo Limpo, o inpEV, que representa a indústria fabricante de defensivos agrícolas, promove ações de educação e conscientização, especialmente junto a agricultores que devem devolver as embalagens lavadas e inutilizadas nas mais de 400 unidades de recebimento em todo o país.

Fonte: Ogilvy PR com adaptação da MundoCoop